Revista OrtodontiaSPO 2008 | V41N4 | Páginas: 355

Más-oclusões e seu impacto na qualidade de vida de adolescentes que buscam tratamento ortodôntico

Oral health-related quality of life and orthodontic treatment seeking

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Daniela Feu* Branca Heloísa de Oliveira** Helena Xavier Sales*** José Augusto Mendes Miguel****
* Especialista e mestranda em Ortodontia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Uerj. ** Professora adjunta do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária da Uerj. *** Aluna do curso de Especialização em Ortodontia da Universidade Veiga de Almeida. **** Professor adjunto do Departamento de Ortodontia da Uerj.

Resumo:

Os objetivos desse estudo foram avaliar a gravidade da má-oclusão e a qualidade de vida relacionada à saúde bucal de adolescentes brasileiros de 12 a 15 anos de idade que buscaram tratamento. A amostra foi constituída de 325 jovens, sendo 201 que procuraram tratamento em uma clínica de ensino de Ortodontia (grupo ortodôntico) e 124 que nunca procuraram tratamento ortodôntico (grupo de comparação). A qualidade de vida foi mensurada utilizando o Oral Health Impact Profile, em sua versão reduzida (OHIP-14), traduzido e validado para o português, e a necessidade normativa e estética de tratamento ortodôntico foi avaliada com o Índice de Necessidade de Tratamento Ortodôntico (IOTN). As regressões logísticas múltiplas e simples mostraram que os adolescentes que buscaram tratamento apresentaram pior qualidade de vida do que os do grupo de comparação (p<0,001). Os indivíduos do grupo ortodôntico também apresentaram más-oclusões mais graves (p=0,003) e estética mais comprometida, quando graduada pelo avaliador (ortodontista) (p=0,008) e também quando auto-avaliada pelos adolescentes (p<0,0001). Não foram observadas diferenças significativas no impacto na qualidade de vida entre os gêneros (p=0,22). Entretanto, quando apenas o grupo ortodôntico foi analisado, o gênero feminino demonstrou impactos significativamente mais negativos (p=0,005). Quando os fatores de confusão (experiência de cárie, nível socioeconômico, gravidade da má-oclusão e impacto estético) foram controlados, os adolescentes que buscaram tratamento tiveram 3,1 vezes mais chances de ter escores altos (impacto negativo) no OHIP-14 do que os que nunca buscaram tratamento. A gravidade da má- oclusão teve influência inferior à procura por tratamento, por outro lado, os adolescentes com auto-avaliação estética ruim tiveram 11,7 vezes mais chances de ter impacto negativo no OHIP-14. Sendo assim, foi possível concluir que os indivíduos que procuraram tratamento ortodôntico apresentaram más-oclusões mais graves, pior impacto estético e impacto mais negativo em sua qualidade de vida.

Unitermos:

Má-oclusão; IOTN; Qualidade de vida.

Abstract:

The aim of this study was to assess malocclusion severity and oral health-related quality of life (OHQOL) in 12-15 year old Brazilian adolescents who sought orthodontic treatment in the Department of Orthodontics of a Brazilian University. The sample consisted of 325 subjects, 12 to 15 years of age; 201 of these had sought orthodontic treatment (orthodontic group), and 124 were selected from a public school and had never undergone or sought orthodontic treatment (comparison group). Oral health-related quality of life (OHQOL) was assessed with the Brazilian version of the short form of the Oral Health Impact Profile (OHIP-14) and malocclusion severity with the Index for Orthodontic Treatment Need (IOTN). Simple and multiple logistic regression analysis revealed that individuals who sought orthodontic treatment reported worse OHQOL than did adolescents in the comparison group (p<0.001). They also had more severe malocclusion as revealed by the IOTN (p=0.003), and greater aesthetic impairment, both when analyzed professionally (p=0.008) or by self-perception (p<0.0001). No gender differences were observed in quality of life impacts (p=0.22). However, when the orthodontic group was separately evaluated, females reported significantly worse impacts (p=0.05). After controlling for confounding (decay experience, socioeconomic status, malocclusion severity and aesthetic impairment), individuals who had sought orthodontic treatment were 3.1 times more likely to have high OHIP-14 scores than individuals in the comparison group. Malocclusion severity influenced less than orthodontic treatment seeking on OHQOL, but, on the other hand, individuals with worse self-perceived aesthetics were 11.7 times more likely to have high OHIP-14 scores. In conclusion, adolescents who sought orthodontic treatment showed more severe malocclusions and esthetic impairment, and had worse OHQOL than those who did not seek orthodontic treatment.

Keywords:

Malocclusion; IOTN; Quality of life.