Revista OrtodontiaSPO 2011 | V44N5 | Páginas: 445

Análise da forma do arco dentário e da distância intercaninos em más-oclusões de Classe I

Assessment of arch form and intercanine width in Class I malocclusions

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Daisy Jhessit Choque Cosme* Marlos Eurípedes de Andrade Loiola** Luiz Silva dos Santos*** Paulo Eduardo Guedes Carvalho**** Rívea Inês Ferreira****
*Acadêmica do Curso de Odontologia - Universidade Cidade de São Paulo, Unicid. **Aluno do Programa de Mestrado em Ortodontia - Universidade Cidade de São Paulo, Unicid. ***Técnico pesquisador - Universidade de São Paulo, USP; Professor de Estatística - Universidade Cidade de São Paulo, Unicid. ****Professores associados do Programa de Mestrado em Ortodontia - Universidade Cidade de São Paulo, Unicid.

Resumo:

Há um interesse clínico justificável pela avaliação do formato de arco mais favorável à estabilidade pós-correção ortodôntica. Assim, o objetivo deste estudo foi comparar as formas dos arcos dentários e as distâncias intercaninos maxilar e mandibular antes e após o tratamento, em más-oclusões de Classe I. A amostra incluiu 28 pares de modelos de estudo pré e pós-tratamento de pacientes dos 11 anos e sete meses aos 24 anos e um mês de idade no início do tratamento e dos 13 anos e 11 meses aos 25 anos e sete meses ao final (22 do gênero feminino, seis do masculino). Um examinador calibrado avaliou as formas dos arcos com gabaritos Ortho Form e mensurou as distâncias intercaninos por meio de paquímetro digital (precisão de 0,01 mm). A análise das coincidências entre formatos dos arcos foi realizada pela estatística Kappa. As distâncias intercaninos foram comparadas pelo teste t Student (α = 5%). O formato ovoide foi o mais frequente pré e pós-tratamento, apesar dos coeficientes Kappa terem indicado 30% e 14,5% de coincidência para os arcos maxilar e mandibular, respectivamente. As distâncias intercaninos maxilares pré (34,66 mm ± 2,7 mm) e pós-tratamento (34,76 mm ± 2,0 mm) não diferiram estatisticamente. Também não houve diferenças significativas entre as distâncias intercaninos mandibulares pré (26,98 mm ± 2,0 mm) e pós-tratamento (26,40 mm ± 1,7 mm). Nos casos tratados de más-oclusões de Classe I, o formato ovoide foi o mais prevalente em ambos os arcos e as distâncias intercaninos não foram significativamente alteradas.

Unitermos:

Arco dental; Má-oclusão de Angle Classe I; Diagnóstico; Ortodontia.

Abstract:

There is a justifiable clinical interest in the assessment of the most favorable arch form related to post-treatment stability in Orthodontics. Thus, the aim of this study was to compare pre- and post-treatment maxillary and mandibular arch forms and intercanine widths, in Class I malocclusions. The sample consisted of 28 pre- and post-treatment pairs of study casts taken from patients aged 11 years and 7 months to 24 years and 1 month at the beginning of treatment and from 13 years and 11 months to 25 years and 7 months at the end (22 females, 6 males). One calibrated examiner assessed arch forms using the Ortho Form templates and measured intercanine widths by means of a digital caliper (accurate to 0.01 mm). Analysis of coincidence between arch forms was carried out using Kappa statistics. Intercanine widths were compared using the student's t-test (α = 5%). Ovoid was the most frequent pre- and post-treatment arch form, although kappa coefficients have indicated 30% e 14.5% of coincidence for the maxillary and mandibular arches, respectively. Pre- (34.66 mm ± 2.7 mm) and post-treatment (34.76 mm ± 2.0 mm) maxillary intercanine widths were not statistically different. Similarly, no significant differences were found between pré (26.98 mm ± 2.0 mm) and post-treatment (26.40 mm ± 1.7 mm) mandibular intercanine widths. After treatment of these Class I malocclusions, the ovoid shape was the most prevalent one in both dental arches and the intercanine widths were not significantly modified.

Keywords:

Dental arch; Malocclusion; Angle Class I; Diagnosis; Orthodontics.