Revista OrtodontiaSPO 2014 | V47N1 | Páginas: 40-47

Aparelho disjuntor fusionado em leque

Fan-type fused palatal expander

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Alessandra Martinelli1, Emne Hammoud Gumieiro2, Regina Ascenção Pequeneza3, Martha de Abreu Avila4, Renato Castro de Almeida5
1Especialista em Ortodontia – SPO;
2Especialista em Ortodontia – CFO; Doutora em Ciências da Saúde – Universidade Federal de São Paulo;
3Especialista em Ortodontia – CFO; Mestre em Ortodontia – Universidade Camilo Castelo Branco;
4Especialista em Ortodontia – Universidade Camilo Castelo Branco; Especialista em Radiologia – Universidade de São Paulo;
5Doutor em Ortodontia – Unicamp; Coordenador de Curso de Especialização em Ortodontia – SPO;

Resumo:

A correção da mordida cruzada posterior é realizada na maioria dos casos por aparelhos disjuntores, em especial o Hyrax e o Haas. Ambos têm efeitos semelhantes no complexo dentofacial, ligeiramente dentoalveolar com Hyrax e ortopédico com Haas. Modificações foram feitas com o objetivo de incorporar as vantagens de ambos, e o aparelho disjuntor fusionado de Almeida e Almeida se diferencia pela quantidade mínima de resina que recobre o parafuso. O presente caso descreve uma adolescente de 14 anos, com mordida cruzada bilateral, pré-molares e dentes anteriores em mordida topo-a-topo, que utilizou o aparelho disjuntor fusionado em leque, para maior expansão na região anterior. Após 14 dias de ativações de ¼ de volta duas vezes por dia, o aparelho foi mantido como contenção por seis meses. Terminado esse período, o aparelho foi removido para a continuação do tratamento ortodôntico. Logo após a expansão, observou-se correção da mordida cruzada, com pouca extrusão dentária e fechamento da mordida topo-a-topo anterior durante a retração, devido à necessidade de exodontia dos segundos pré-molares. Comparando-se à opção da cirurgia ortognática, houve resposta favorável demonstrando que a indicação e a construção do aparelho disjuntor fusionado foram oportunas.

Unitermos:

Mordida cruzada; Técnica expansão maxilar; Desenho de aparelho ortodôntico;

Abstract:

Correction of posterior crossbite in most cases is performed with disjunction appliances, in special, Hyrax and Haas. Both of them have similar effects on dentofacial complex, slightly dentoalveolar with Hyrax and orthopedic with Haas. Changes have been done on the appliances in order to incorporate advantages of both appliances in only one, and the Almeida & Almeida’s fusioned disjunction appliance is different regarding by minimum amount resin that covers the screw. The actual case describes a 14 years-old female adolescent, with bilateral posterior crossbite, bicuspids and anterior teeth in cusp-to-cusp relationship, who has worn a fan type fusioned disjunction appliance, in order to have more anterior lateral expansion. During 14 days of activation, ¼ turn twice a day, the appliance was kept in position acting as retention for six months, after that it was removed for following orthodontic treatment. Finished the expansion, correction of the posterior crossbite was observed, with little dental extrusion and closure of the anterior cusp-to-cusp relationship during the retraction, due to necessity of second upper bicuspids extraction. When it is compared to the option of orthognathic surgery, there was favorable result suggesting the indication and building of the fusioned disjunction appliance were delivered in an appropriate time.

Keywords:

Crossbite; Palatal expansion technique; Orthodontic appliance design;