Revista OrtodontiaSPO 2015 | V48N6 | Páginas: 541-5

Avaliação do índice de insucesso em relação à estabilidade de mini-implantes no tratamento ortodôntico

Miniscrew failure rate in orthodontic treatment

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Adriano Garcia Bandeca1
Vinicius Laranjeira Barbosa da Silva2
Danilo Pinelli Valarelli3
Ana Cláudia Conti3
Fabrício Pinelli Valarelli4

1Mestrando em Ortodontia – Universidade do Sagrado Coração.
2Mestre em Ortodontia – FOB/USP.
3Professores doutores em Ortodontia – Universidade do Sagrado Coração.
4Professor doutor em Ortodontia – Faculdade Ingá.

Resumo:

O objetivo deste estudo foi avaliar o índice de insucesso quanto à estabilidade de mini-implantes, utilizados como ancoragem no tratamento ortodôntico e seus fatores. Para isso, foram selecionados aleatoriamente pacientes em três cursos de pós-graduação e em uma clínica privada, que utilizaram mini-implantes em alguma fase do tratamento ortodôntico. Foram analisados 282 mini-implantes de quatro marcas comerciais (Morelli, SIN, Neodent e Conexão) utilizados em 127 pacientes: 84 do sexo feminino e 43 do masculino, com média de idade de 38,88 anos. Foram analisados, dez variáveis que poderiam influenciar a estabilidade dos mini-implantes como a idade do paciente, o sexo, a base óssea, lado, tecido gengival, mecânica utilizada e a aplicação da força imediata, a marca e o comprimento do dispositivo e a proximidade com a raiz. Para avaliar a influência da idade do paciente na estabilidade do mini-implante foi utilizado o teste t, para avaliar a variável tecido gengival foi utilizado o teste exato de Fisher unilateral. As demais variáveis foram analisadas por meio do teste qui-quadrado. A média geral de insucesso foi de 12,76%. As variáveis comprimento do mini-implante e proximidade com a raiz mostraram influência estatisticamente significante nas taxa de insucesso. Concluiu-se que a instalação de mini-implantes entre raízes apresenta um índice de insucesso significantemente maior do que em área edêntula.

Unitermos:

Mini-implante; Estabilidade; Tratamento ortodôntico.

Abstract:

The aim of this study was to evaluate the failure rate in the stability of miniscrews used as anchorage in orthodontic treatment. Sample was randomly selected from three graduate courses and a private practice which used miniscrews at some stage of orthodontic treatment. In total, 282 miniscrews of 4 commercial brands (Morelli, SIN, Neodent and Connection) used in 127 patients (84 female and 43 male, with mean age of 38.88 years). Ten variables were considered when assessing miniscrew stability (age, gender, mini-implant length, brand, apical base, side, gingival tissue, root proximity and mechanical force applied). To evaluate the influence of patient age in the miniscrew stability, t test was used. All other variables were analyzed using the chi-square test. The overall average failure was 12.76%. The variables mini-implant length and root proximity showed statistically significant influence on the failure rate. It was concluded that miniscrews placed between roots present with a significantly higher failure rate than in edentulous area.

Keywords:

Miniscrew; Stability; Orthodontic treatment.