Revista OrtodontiaSPO 2016 | V49N5 | Páginas: 456-60

Associação entre a severidade da má-oclusão e a condição social na qualidade de vida de adolescentes

*

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Silvia A. S. Vedovello1
Heloísa C. Valdrighi1
Patrícia R. dos Santos2
Antonio A. Rebelato Filho3
Mario Vedovello Filho4
Marcelo de C. Meneghim5

1Professoras do programa de pós-graduação em Ortodontia – Fundação Hermínio Ometto, Uniararas.
2Mestranda do programa de pós-graduação em Ortodontia – Fundação Hermínio Ometto, Uniararas.
3Especialista em Ortodontia – Fundação Hermínio Ometto, Uniararas.
4Coordenador do programa de pós-graduação em Ortodontia – Fundação Hermínio Ometto, Uniararas.
5Professor da área de Saúde Coletiva – FOP-Unicamp.

Resumo:

O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto da má-oclusão na qualidade de vida de adolescentes, relacionando-o à condição social. A amostra contou com 248 indivíduos de 12 anos de idade, de ambos os sexos, oriundos de todas as escolas municipais da cidade de Araras (SP). O exame clínico da má-oclusão foi baseado no índice de estética dental (DAI). O impacto da má-oclusão na qualidade de vida foi avaliado pelo OIDP (impactos bucais na atividade diária) e classe social, através de um questionário enviado aos pais e/ou responsáveis. Foram realizadas análises descritivas e Anova Two-Way, seguidas das comparações múltiplas de Tukey, adotando-se o nível de significância p < 0,05. Dos escolares avaliados, 74% apresentavam necessidade de tratamento ortodôntico. Do total, 60% pertenciam à classe social baixa. A má-oclusão causou impacto na qualidade de vida (p < 0,0001), principalmente nos indivíduos com má-oclusão muito severa, mas sem a influência do estrato socioeconômico. Concluiu-se que a má-oclusão causou um impacto negativo na qualidade de vida, não sendo influenciada pela condição social.

Unitermos:

Ortodontia; Indicadores de qualidade de vida; Classe social.

Abstract:

*

Keywords:

*