Revista OrtodontiaSPO 2017 | V50N2 | Páginas: 158-62

Análise da superfície de fios ortodônticos após esterilização

Orthodontic wire surface after sterilization analysis

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Nadia Altobello Abatayguara Adametes1
Milena Carolina de Amorim2
Cristina Lúcia Feijó Ortolani3
Kurt Faltin Jr.4

1Mestra em Ortodontia e doutoranda em Ortodontia – Unip.
2Mestra em Ortodontia – Unip.
3Doutora em Diagnóstico Bucal – USP.
4Doutor em Ortodontia – Universidade de Bonn, Alemanha.

Resumo:

Diversos profissionais costumam embalar e esterilizar os fios ortodônticos com a finalidade de evitar uma contaminação cruzada, mas há poucos estudos sobre a influência da esterilização nas propriedades físicas desses fios, apresentando resultados contraditórios. O presente estudo teve como objetivo avaliar as alterações de superfície dos fios, verificando a presença ou ausência de corrosão nos fios 0,016” Ni-Ti, 0,016” Ni-Ti termoativado, 0,016” X 0,016” Ni-Ti e 0,016” X 0,016” Ni-Ti termoativado da marca Morelli, após seu processo de esterilização em autoclave e por agente químico por imersão em ácido peracético (Sekusept Aktiv). Para a realização desta pesquisa, foram utilizadas 20 unidades de arcos pré-contornados, sendo cinco de cada tipo, que foram divididos em seis grupos: dois grupos-controle (um de fios de secção circular e outro de fios de secção quadrada); dois grupos de esterilização em autoclave (por um e por dois ciclos); e dois grupos de esterilização por agente químico (durante 30 ou 60 minutos). Para avaliação da corrosão, os fios foram cortados em segmentos de 0,5 cm e avaliados por imagens obtidas por meio de um microscópio eletrônico de varredura (MEV). Foi possível concluir que os meios de esterilização não ocasionaram corrosão nos fios de secção circular, enquanto que os fios de secção quadrada sofreram maior corrosão superficial quando esterilizados em autoclave.

Unitermos:

Esterilização; Ortodontia; Fios ortodônticos.

Abstract:

Several professionals often pack and sterilize orthodontic wires to avoid cross-contamination, but there are few researches on the influence of sterilization on the physical properties of these wires, which presents contradictory results. The present research aimed to evaluate the changes in the surface of these wires after the process of autoclaving and chemical agent by immersion using peracetic acid (Sekusept Aktiv) and, for that, it was used .016” Niti, .016” Thermo Niti, .016” X .016” Niti and .016” X .016” Thermo Niti wires from Morelli, in order to verify the presence or the absence of corrosion. For this research, we used 20 units of preformed archwires, divided in 6 groups, 5 units of each: two control groups (round and square wires) two groups of autoclave sterilization (one and two cycles), and two groups of the chemical sterilization (during 30 and 60 minutes). For the evaluation of corrosion, these wires were cut into 0.5 cm segments and evaluated in images obtained via scanning electron microscope (SEM). Through this research, it was concluded that the sterilization method had not caused corrosion on the round wires (.016” Niti and Thermo Niti), while the square wires (.016” X .016” Niti and Thermo Niti) had suffered a surface corrosion when sterilized by autoclaving.

Keywords:

Sterilization; Orthodontics, Orthodontics wires.