Revista OrtodontiaSPO 2017 | V50N2 | Páginas: 164-9

Micro-osteoperfurações como acelerador do movimento ortodôntico. Inovação ou precipitação?

Micro-osteoperfurations to accelerate the orthodontic movement. Innovation or precipitation?

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Wendel Shibasaki1
Marlos Loiola1
Lucineide Lima2
Renato Parsekian Martins3
Flavio Cotrim-Ferreira4
Luiz Gandini5

1Doutorandos em Ciências Odontológicas/Ortodontia – Unesp Araraquara/SP.
2Doutoranda em Ciências Odontológicas/Ortodontia – Unopar Londrina/PR.
3Professor colaborador do Programa de Doutorado em Ciências Odontológicas/Ortodontia – Unesp Araraquara/SP.
4Mestre em Ortodontia e doutor em Diagnóstico Bucal – Faculdade de Odontologia da USP; Professor associado dos cursos de graduação em Odontologia, especialização e mestrado em Ortodontia – Unicid; Editor científico – Revista OrtodontiaSPO.
5Mestre e doutor em Ortodontia, e professor livre-docente/adjunto – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; Pós-doutorado no Baylor College of Dentistry, em Dallas, USA.

Resumo:

Pacientes e ortodontistas se beneficiariam com métodos para reduzir o tempo total do tratamento. Mais pacientes iniciariam seu tratamento e os que já estão em tratamento ficariam mais satisfeitos ao concluírem. Há muitas etapas no tratamento ortodôntico que podem influenciar no tempo total do mesmo, mas o grande desafio atual é modular as respostas biológicas às forças ortodônticas aplicadas. Entre os métodos menos invasivos de tentar potencializar a liberação de mediadores químicos estão as micro-osteoperfurações. Essas pequenas perfurações da cortical alveolar causam injúria nos tecidos e estimulam o fenômeno aceleratório regional (RAP). Por sua praticidade e boa aceitação pelos pacientes, este procedimento tem sido visto com grande interesse pelos ortodontistas clínicos e pesquisadores. No entanto, os estudos ainda possuem alto risco de viés e apenas um estudo clínico foi realizado. Concluiu-se que ainda não há suporte científico para a recomendação de MOPs na clínica diária, devendo-se aguardar mais estudos clínicos randomizados e controlados que evidenciem possíveis efeitos colaterais, custos biológicos relacionados e os reais benefícios da sua indicação.

Unitermos:

Micro-osteoperfuração; Movimento dentário ortodôntico; Minimamente invasivo; Ortodontia acelerada.

Abstract:

Patients and orthodontists may benefit of methods to reduce total treatment time. More patients would start their treatment and those already on treatment would be more satisfied to complete it. There are many steps in orthodontic treatment that may influence total treatment time, but the major challenge today is to modulate biological responses to applied orthodontic forces. Among the less invasive methods of attempting to potentiate the release of chemical mediators are micro-osteoperfurations. These small perforations of the alveolar cortex cause tissue damage and stimulate the regional accelerating phenomenon (RAP). Because of its practicality and good acceptance by patients, this procedure has been seen with great interest by clinical orthodontists and researchers. However, studies are still at high risk of bias and only one clinical study has been performed. It is concluded that it does not yet have scientific support for the recommendation of MOPs in the daily pratice, and it is expected that more randomized and controlled clinical trials that show the side effects, the related biological costs and real benefits of its indication.

Keywords:

Micro-osteoperforation; Orthodontic tooth movement; Minimally invasive; Accelerated orthodontics.