Revista OrtodontiaSPO 2017 | V50N5 | Páginas: 432-40

Espessura e altura óssea alveolar vestibular na região posterior pós-expansão rápida da maxila

Thickness and height of the buccal alveolar process in the posterior region of the maxilla after rapid maxillary expansion

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Mario Cappellette Jr.1
Flavio Toshiki Shido2
Guilherme Ferreira Mendes2
Rony Wilson Chaves2
Lucia Hatsue Yamamoto Nagai2

1Doutorado e pós-doutorado, Depto. de Otorrinolaringologia, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, disciplina de Otorrinolaringologia Pediátrica – Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
2Ortodontistas – Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Resumo:

Introdução: a expansão rápida da maxila (ERM) é um procedimento consagrado no tratamento da discrepância transversal da maxila. Contudo, o movimento dentário vestibular está associado a problemas como a redução da altura e espessura do osso alveolar, deiscências ou fenestrações e comprometimento periodontal. Proposição: determinar os efeitos imediatos da ERM na espessura e altura do osso alveolar vestibular na região dos primeiros molares superiores, através das imagens obtidas com tomografia computadorizada (TC). Material e métodos: mensurações em uma amostra composta por 21 pacientes respiradores orais com média de idade de 9,6 anos (entre seis e 12 anos) e discrepância transversal com envolvimento esquelético. A amostra foi submetida ao exame de TC em duas fases: T1 (pré-ERM); e T2 (após um período mínimo de seis meses de contenção). Foram avaliados cortes coronais e sagitais englobando as regiões dentoalveolar e basal da maxila, na região dos primeiros molares superiores direito e esquerdo. As mensurações compreenderam a espessura óssea alveolar vestibular e altura da crista óssea alveolar das raízes distovestibulares dos primeiros molares superiores permanentes. Resultados: a redução da espessura óssea no osso vestibular não foi significativa, entretanto, houve diminuição no nível da crista óssea alveolar. Conclusão: o reposicionamento lateral dos primeiros molares superiores, observado com acurácia e precisão na TC, mostra perda em altura do processo alveolar vestibular.

Unitermos:

Expansão rápida da maxila; Tomografia computadorizada; Periodonto.

Abstract:

Introduction: rapid maxillary expansion (RME) is an established procedure in the treatment of transverse maxillary discrepancy, however, buccal tooth movement is associated with problems such as reduction of alveolar bone height and thickness, dehiscence or fenestration, and periodontal defect. Objective: to determine the immediate effects of RME on the thickness and height of the buccal alveolar bone in the region of the first maxillary molars by computed tomography (CT) images. Material and methods: measurements in a sample composed of 21 mouth breathing patients, mean age of 9.6 years (ranging from 6 to 12 years), skeletal transverse discrepancy. CT examinations were conducted at two different times: T1 (pre-RME); and T2 (post-RME six months later). Coronal and sagittal images were evaluated, including the dentoalveolar and basal regions of the maxilla in the region of the right and left first molars. Measurements comprised the buccal alveolar bone thickness and height of the alveolar bone crest of the distobuccal roots of the maxillary first permanent molars. Results: it was observed that the reduction of the bone thickness in the buccal bone was not significant, however, there was a decrease in the level of the alveolar bone crest. Conclusion: the lateral repositioning of the maxillary first permanent molars, observed with accuracy and precision by CT, shows a loss in height of the buccal alveolar process.

Keywords:

Rapid maxillary expansion; Computed tomography; Periodontium.