Revista OrtodontiaSPO 2018 | V51N3 | Páginas: 315-25

Avaliação dos efeitos esqueléticos do aparelho Herbst splint metálico no tratamento da má-oclusão classe II, divisão 1, após o surto de crescimento pubertário

Evaluation of Herbst cast splint appliance effects upon class II division 1 malocclusion treatment after growth spurt

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Savana Maia1
Dirceu Barnabé Raveli2
Ary dos Santos Pinto2
Taisa Boamorte Raveli3
Luana Sampaio3

1Mestre e doutora – Foar/Unesp; Professora da Universidade do Estado do Amazonas – UEA.
2Professores livre-docentes de Ortodontia – FOAr/ Unesp.
3Mestres e doutores – FOAr/Unesp.

Resumo:

Introdução: o aparelho Herbst destaca-se por manter a mandíbula avançada de modo contínuo. Objetivo: analisar as alterações esqueléticas que contribuíram para a correção da classe II, divisão 1, em indivíduos tratados após o surto de crescimento pubertário, com aparelho Herbst splint metálico. Metodologia: a amostra foi composta por 24 indivíduos, sendo 12 do grupo tratado com Herbst e 12 do grupo-controle, pertencentes ao Burlington Growth Centre University of Toronto, seis do gênero masculino e seis do gênero feminino, com média de idade inicial de 15,51 anos. Para a avaliação, utilizaram-se radiografias cefalométricas laterais iniciais e finais obtidas após um período médio de tratamento de 8,21 meses. A análise estatística foi realizada por meio do teste t de Student, com nível de significância de 5%. Resultados: o tratamento produzir alterações estatisticamente significantes nas medidas esqueléticas sagitais da mandíbula, maxilomandibulares e nas medidas verticais (SNB, Co-Gn, Pog-Nperp, ANB, AOBO, NAP, N-Me). Não houve alteração significante no deslocamento da maxila, mas ocorreu crescimento mandibular e posicionamento mais anterior da mandíbula, aumento das alturas faciais anterior e posterior sem alterar o padrão facial e ausência de abertura do plano mandibular. Conclusão: o aparelho Herbst splint metálico foi eficiente na correção da má-oclusão classe II.

Unitermos:

Má-oclusão de Angle classe II; Avanço mandibular; Ortopedia.

Abstract:

Introduction: the key feature of the Herbst appliance lies in keeping the mandible continuously advanced. Objective: to analyze the skeletal changes that contributed to the correction of class II division 1 subjects treated after the pubertal growth spurt with splint Herbst appliance. Methodology: the sample consisted of 24 individuals, 12 of the group treated with Herbst and 12 in the control group belonging to the Burlington Growth Centre University of Toronto, 6 males and 6 females, with initial mean age of 15.51 years. Lateral cephalometric radiographs made at the beginning and treatment finalization (8.21 months) were used. Statistical analysis was perfomed using the Student t test with significance level of 5%. Results: the treatment produces statistically significant changes in measures of sagittal skeletal jaw, and the maxilo-mandibular vertical measurements (SNB,Co-Gn, Pog-Nperp, ANB, AOBO, NAP, N-Me). There was no significant change in the displacement of the maxillary and mandibular growth but there was more anterior mandible, enlargement of anteriorly displaced and posterior facial heights without changing the facial pattern and lack of openness of the mandibular plane. Conclusion: the splint Herbst appliance was effective in correcting the class II malocclusion.

Keywords:

Class II Angle malocclusion; Mandibular advancement; Orthopedics.