Revista OrtodontiaSPO 2018 | V51N4 | Páginas: 450-6

Angulações e inclinações dentárias de dentes posteriores em brasileiros com oclusão normal

Dental angulations and inclinations from the posterior teeth in Brazilian with normal occlusion

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Ana Carolina Souto Dante1
Carlos Henrique Guimarães Jr.2
Wiliam Custório3
Vivian Furletti3
Viviane Veroni Degan3
Heloísa Cristina Valdrighi3

1Pós-graduanda do programa de pós-graduação em Odontologia, área de concentração Ortodontia – FHO/Uniararas.
2Docente – Unieuro.
3Docentes do programa de pós-graduação em Odontologia, área de concentração Ortodontia – FHO/Uniararas.

Resumo:

Este estudo observacional transversal teve como propósito avaliar as inclinações e angulações dos elementos posteriores da arcada superior e inferior, comparando com as medidas originais de Andrews. A amostra foi composta por 60 modelos de gesso de indivíduos na faixa etária de 15 a 30 anos de idade, de ambos os sexos, que nunca foram submetidos a tratamentos ortodônticos e que apresentavam oclusão clinicamente normal. Para essa pesquisa, foram traçados os pontos EVCC e EV de cada dente, e, utilizando um dispositivo desenvolvido por Andrews para tornar as mensurações as mais fiéis possíveis, foram obtidas as medidas das angulações e inclinações dentárias. Os dados coletados foram comparados com as medidas originais proposta, por Andrews. Para avaliação do erro sistemático, foi utilizado o teste t dependente, adotado o nível de significância de 5% e a formula de Dahlberg para estimar a ordem dos erros casuais. Os resultados mostraram que os dentes 15, 16, 26 e 46 apresentaram diferença estatisticamente significante (p < 0,05) em relação à inclinação, e os dentes 17, 25, 27, 34, 35, 37, 36, 44, 45 e 47 apresentaram diferença estatisticamente significante (p < 0,05) em relação à angulação. Não houve diferença estatisticamente significante para as demais medidas. Concluiu-se que houve diferença nas angulações e inclinações dentárias dos elementos posteriores no arco superior e inferior em indivíduos com oclusão normal, comparadas com as medidas originais proposta por Andrews.

Unitermos:

Ortodontia; Oclusão; Diagnóstico.

Abstract:

This cross-sectional observational study aimed to evaluate the slopes and angulations of the posterior elements of the upper and lower arch compared with the original Andrews measurements. The sample consisted of 60 cast models of individuals between 15 and 30 years of age, of both gender, who never underwent orthodontic treatment with clinically normal  occlusion. For this research the EVCC and EV points of each tooth were drawn and using a device developed by Andrews to make the measurements as faithful as possible the measurements of the angles and inclinations were obtained. The data collected were compared with the original measurements proposed by Andrews. In order to evaluate the systematic error, the dependent “t” test was used and the significance level of 5% and the Dahlberg formula were used to estimate the order of the casual errors. The results showed that the teeth 15, 16, 26 and 46 presented a statistically significant difference (p < 0.05) in relation to the inclination and the teeth 17, 25, 27, 34, 35, 37, 36, 44, 45 and 47 presented a statistically significant difference (p < 0.05). There was no statistically significant difference for the other measures. It was concluded that there were differences in the angulations and dental inclinations of the posterior elements in the upper and lower arch in individuals with normal occlusion compared with the original Andrews values.

Keywords:

Orthodontics; Occlusion; Diagnostic.