Revista OrtodontiaSPO 2018 | V51N6 | Páginas: 749-56

Classe II com discrepância limítrofe entre tratamento cirúrgico e não cirúrgico: características e implicações clínicas

Class II with borderline discrepancy between surgical and nonsurgical treatment: characteristics and clinical implications

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Sérgio Estelita1
Kelly Chiqueto1
Juliana Figueiredo dal Gallo Faria2
Lívia Fúcio Sattamini de Moraes3

1Doutores em Ortodontia – FOB/USP; Professores adjuntos de Ortodontia – UFRGS.
2Especialista em Ortodontia e mestranda em Ortodontia – UFRGS.
3Graduada em Odontologia – UFJF; Aluna do curso de especialização em Ortodontia – UFRGS.

Resumo:

Objetivou-se determinar as características dentoesqueléticas de pacientes com discrepância anteroposterior maxilomandibular limítrofe (DML), e suas implicações no tratamento ortodôntico- -compensatório e ortodôntico-cirúrgico. Para isso, foram selecionados 76 pacientes, sendo 39 do grupo DML (ANB > 5°) e 37 do grupo-controle, sem discrepância AP (1° < ANB < 3°). Os grupos foram comparados quanto às características dentoesqueléticas medidas em telerradiografias laterais e modelos de estudo por meio do teste t independente. As características dentoesqueléticas foram correlacionadas às medidas ANB e Wits utilizando o teste de correlação de Pearson. Os resultados foram considerados significantes para p < 0,05. A retrusão mandibular associada a um padrão facial vertical, suave inclinação para lingual dos incisivos superiores e severa protrusão dos incisivos inferiores foram as alterações dentoesqueléticas que mais diferiram os pacientes com DML daqueles sem discrepância. Pôde-se concluir que as características mais marcantes dos pacientes com discrepância AP maxilomandibular limítrofe (DML) foram o posicionamento dentoesquelético mais favorável da maxila e o deficiente posicionamento dentoesquelético da mandíbula. Essas características encorajam o tratamento ortodônticocompensatório por meio de mecânicas intermaxilares de mesialização do arco inferior. Por outro lado, o tratamento ortodôntico-cirúrgico pode depender, sobretudo, do avanço mandibular e de extrações no arco inferior para garantir a excelência dos resultados oclusais e estéticos.

Unitermos:

Má-oclusão de Angle classe II; Retrognatismo; Desenvolvimento maxilofacial.

Abstract:

This study aimed to determine the dentoskeletal characteristics from patients with threshold anteroposterior maxillomandibular discrepancy (TMD) and its implications in the compensatory and orthodontic-surgical treatment. In total, 76 patients were selected, with 39 from the TMD group (ANB > 5°) and 37 from control group, without AP discrepancy (1° < ANB < 3°). Dentoskeletal characteristics were measured on lateral cephalograms and dental casts. The groups were compared with independent t-test. Pearson correlation test was used to correlate dentoskeletal characteristics to ANB and Wits. The results were considered significant for p < 0.05. Mandibular retrusion associated to a vertical facial pattern, slightly retruded maxillary incisors and severely protruded mandibular incisors were the dentoskeletal characteristics that most differentiated TMD patients from those without discrepancy. It was concluded that the main features from patients with threshold anteroposterior maxillomandibular discrepancy (TMD) were a better maxillary dentoskeletal position and a deficient mandibular dentoskeletal position. These characteristics encourage compensatory orthodontic treatment through intermaxillary mechanics for mandibular teeth mesialization. However, orthodontic-surgical treatment can depend primarily, on mandibular advancement and mandibular teeth extractions to ensure excellent occlusal and esthetic results.

Keywords:

Angle class II malocclusion; Retrognatism; Maxillofacial development.