Revista OrtodontiaSPO 2019 | V52N1 | Páginas: 42-8

Protocolo de expansão rápida da maxila assistida por mini-implante (Marpe) associado à corticotomia

Miniscrew-assisted rapid palatal expander (Marpe) protocol associated with corticotomy: a case report

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Alexandre Magno dos Santos1
Bernardo Magno dos Santos2
Andréa Damasceno Rocha3
Bruna Campos Ribeiro4
Lidiane Maria dos Reis Dutra5
Isabella Simões Holz6

1Especialista e mestre em Ortodontia – São Leopoldo Mandic; Doutor em Biologia Oral – Universidade do Sagrado Coração (USC).
2Cirurgião-dentista – PUC; Cursando especialização em Ortodontia – Gapo.
3Mestranda em Ortodontia – Universidade do Sagrado Coração (USC); Especialista em Ortodontia – Facsete.
4Graduanda em Odontologia – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
5Cirurgião-dentista – Universidade de Itaúna (UIT); Cursando especialização em Ortodontia – Gapo.
6Ortodontista e mestra em Ciências da Reabilitação – HRAC/USP.

Resumo:

A forma convencional da expansão rápida da maxila (ERM) é o uso do aparelho expansor dentossuportado (Hyrax) ou dentomucossuportado (Haas) ancorado em dentes posteriores, conduta terapêutica muito efetiva no tratamento da atresia maxilar quando usada na fase de crescimento ósseo. No entanto, após cessado o crescimento ou em estágio avançado de maturação da sutura palatina, esse protocolo pode trazer consequências indesejadas, desde a vestibularização dos dentes de suporte, necrose da mucosa palatina até o insucesso da expansão óssea. O aparelho Marpe (disjuntor ancorado em mini-implante) é uma excelente alternativa de tratamento para pacientes adultos. A idade cronológica do paciente nem sempre acompanha o desenvolvimento ósseo, isto é, a idade óssea varia de pessoa para pessoa e cada uma atinge a maturidade óssea com uma idade. Essa é determinada por meio de exames radiográfi cos, sendo os mais comuns a radiografia de mão e punho e a telerradiografia lateral complementada com a tomografia para avaliar os estágios de maturação da sutura palatina. O presente artigo tem como objetivo descrever, por meio de um caso clínico, o diagnóstico através da telerradiografia e da tomografia do estágio de maturação da sutura palatina e o protocolo de expansão rápida da maxila em uma paciente adulta de 28 anos, apresentando mordida cruzada posterior, utilizando mini-implantes como ancoragem no aparelho disjuntor – Marpe (miniscrew-assisted rapid palatal expander), associado à realização de perfurações na região da sutura palatina mediana.

Unitermos:

Expansão maxilar; Mini-implantes; Corticotomia; Maturação palatina.

Abstract:

The conventional rapid maxillary expansion (RME) is performed by the dento-supported (Hyrax) or dentomucosuported (Haas) expander appliance anchored in posterior teeth. This is a well stablished therapeutic approach in the treatment of maxillary atresia during bone growth phase. However, at the end of growth or advanced maturation status of the midpalatal suture closure, this protocol may have undesired consequences, as vestibularization of the supporting teeth, necrosis of the palatal mucosa and failure of bone expansion. The Marpe (miniscrew-assisted rapid palatal expander) device is an excellent treatment alternative for adult patients. The chronological age of the patient does not always follow the bone development. The bone age varies among individuals and the bone maturity is diff erent with age. This is determined by means of radiographic examinations which includes hand and wrist and lateral radiography, complemented by tomography to evaluate the palatine suture maturation stages. This article aims to describe, by means of a case report, the diagnosis of the palatine suture maturation status through lateral radiography and tomography followed by Marpe protocol in an adult patient of 28 years, presenting posterior crossbite, using mini-implants as an anchorage, associated with perforations in the region of the midpalatal suture.

Keywords:

Maxillary expansion; Mini-implants; Corticotomy; Palatal maturing.