Publicado em: 19/06/2017 às 14h40

A potência brasileira em solo norte-americano

Ministradores do Brasil foram destaque no congresso anual da AAO, que proporcionou cinco dias de imersão em uma Ortodontia que une arte, ciência e negócios.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
San Diego Convention Center (Imagens: divulgação)

 

Às margens de uma belíssima marina em San Diego, na Califórnia (Estados Unidos), aconteceu o 117º Encontro Anual da American Association of Orthodontists (AAO) – maior organização da especialidade dentária do mundo, com 18 mil membros. Não por acaso, o evento realizado no final de abril teve como tema “Navegando na Ortodontia: a arte, a ciência e os negócios”.
 
Uma grande delegação do Brasil esteve presente entre os 18 mil congressistas e pôde participar de uma extensa grade de atividades distribuídas ao longo de cinco dias. Porém, o que mais chamou a atenção foi ver muitos professores brasileiros subirem ao palco como ministradores e perceber nossa maior representatividade em citações de publicações, por parte dos profissionais de outros países.
 
Para o ortodontista Alexandre Moro, dentre nossos profissionais, destacam-se Lucia Cevidanes, que falou com excelência sobre como a imagem 3D pode melhorar a eficácia do tratamento, e Flavia Artese, que foi fantástica na sua apresentação sobre a estabilidade do tratamento da mordida aberta.
 
Os ortodontistas Júlio de Araújo Gurgel e Alex Luiz Pozzobon Pereira lembram que também foi marcante a cerimônia de premiação do “Excellence in Orthodontics Award Ceremony”, que iniciou com a divulgação dos melhores trabalhos científicos realizados nas universidades americanas, sendo um deles desenvolvido pela brasileira Eliane H. Dutra, que atualmente é professora assistente na Universidade de Connecticut.
 
Em relação à programação do evento, as palestras englobaram desde a ciência básica aos aspectos legais e sociais. Contudo, a maioria estava voltada para a prática diária. Apesar da Ortodontia Lingual ainda não ter uma grande quantidade de adeptos, foi separada uma sala e um período para as palestras abordando esse tema – com especial destaque para o tratamento com aparelhos customizados, mostrando-se uma tendência. Outro assunto bastante debatido foi a ancoragem absoluta, e diversos professores apresentaram resultados clínicos cada vez mais ousados e eficientes utilizando esse recurso como coadjuvante na mecânica ortodôntica. Da mesma forma, os alinhadores tiveram sessões com diversos professores que demonstraram as melhorias que a técnica vem sofrendo, procurando oferecer resultados cada vez melhores em más-oclusões mais complexas.
 
Para o ortodontista José Augusto M. Miguel, um dos temas mais recorrentes foi os mecanismos de aceleração de movimento dentário. As apresentações concluíram que diversos recursos ainda não comprovaram resultados em humanos que justifiquem sua utilização. “A palestra do professor Peter Buschang sintetizou brilhantemente esse aspecto, enfatizando a importância de avaliarmos de forma crítica os resultados dos estudos científicos como base na escolha de nossas decisões clínicas”, diz. Moro, Gurgel e Pereira acrescentam que Buschang mostrou, com embasamento científico, que até o momento o uso de osteoperfuração, corticotomia e vibração não tem comprovação científica para acelerar o movimento dentário.
 
A exposição comercial apresentou novidades para a melhoria dos tratamentos ortodônticos.

 

No entanto, Gurgel e Pereira afirmam que, no dia seguinte a esta aula, tiveram a oportunidade de conversar com Jim Sieg, o idealizador de um dos perfuradores corticais mais famosos do mercado (Propel). “Ciente da apresentação realizada por Buschang, ele destacou que realmente há muito o que pesquisar. Porém, quanto à facilidade para as correções das giroversões dentárias, ele acredita ser irrefutável. Ou seja, nem todos os tipos de uso do Propel foram testados ainda, e somente o tempo vai nos mostrar a validade ou não deste e de outros tipos de intervenções minimamente invasivas”, acrescentam.
 
Para Moro, também vale ressaltar a aula de Sebastian Baumgaertel, que chamou a atenção para a possibilidade dos parafusos extrarradiculares poderem perfurar o seio maxilar quando instalados no processo zigomático da maxila, devido à pequena espessura óssea na região.
 
Um momento de bastante emoção, na opinião de Miguel, foi a entrega do prêmio ao professor William Proffit, por toda sua realização ao longo da vida. “Sua palestra era intitulada ‘Aprendendo com a experiência e compartilhando com credibilidade’, o que já diz tudo sobre a generosidade deste mestre que vem influenciando por décadas a Ortodontia mundial”, justifica.
 
Em relação aos produtos, Moro destaca como grande novidade o lançamento do aparelho Mandibular Advancement para o tratamento da classe II em crianças, que, segundo ele, lembra muito o Twin Block, mas com a vantagem de ir alinhando os dentes à medida que corrige a classe II. Já Miguel impressionou-se com o mundo de possibilidades que os equipamentos de escaneamento e impressão 3D podem trazer para a prática clínica.
 
De acordo com a ortodontista Andréia Cotrim Ferreira, que não participava desse evento há algumas edições, ficou claro que a Ortodontia brasileira está no caminho certo. “O evento não me pareceu aquele supercongresso do passado. Isso porque antes não tínhamos no Brasil nada parecido, mas agora já temos. Percebi que a Ortodontia brasileira está totalmente atualizada. A discussão entre os brasileiros presentes sinalizava para uma nova fase da Ortodontia – mais realista e sem ‘aparelhos mágicos’. Mas, uma preocupação que tomou conta de todos foi a liberação do tratamento com alinhadores para profissionais não especialistas”, comenta.
 
Em um evento realizado durante o congresso, a Associação Brasileira de Ortodontia (Abor) ganhou a concorrência para o Rio de Janeiro (RJ) sediar, em 2025, o Congresso Mundial de Ortodontia da World Federation of Orthodontics (WFO), que é realizado a cada cinco anos. Já a próxima edição do encontro anual da AAO será em maio de 2018, em Washington D.C. (Estados Unidos).
 
Dentre os 18 mil congressistas, estava presente uma grande delegação de brasileiros.