Publicado em: 06/12/2017 às 09h28

Grandes nomes da Ortodontia no Orto 2018-SPO

Flavio Cotrim-Ferreira revela novos palestrantes estrangeiros confirmados para o Orto 2018-SPO.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Na edição passada, revelamos alguns dos professores internacionais convidados para o 21º Congresso Brasileiro de Ortodontia, a ser realizado de 20 a 22 de setembro, em São Paulo. Continuaremos aqui, mostrando outros astros deste universo e justificando por que faremos uma edição memorável do Orto 2018-SPO.

Professora da Universidade de Giessen, na Alemanha, Sabine Ruf é considerada a principal continuadora das pesquisas sobre o aparelho de propulsão mandibular idealizado por Herbst em 1905 e divulgado mundialmente por Hans Pancherz na década de 1970. Seu curso de imersão apresentará um roteiro prático, baseado em fortes evidências científicas, sobre os métodos de tratamento da má-oclusão de classe II, principalmente com o auxílio de aparelhos funcionais fixos e removíveis. Uma ênfase especial será dada na análise dos resultados obtidos pelos diversos tratamentos e na estabilidade em longo prazo de cada um dos sistemas.

Representando a conceituada Ortodontia norte-americana, teremos mais alguns grandes nomes, como Won Moon, que iniciou seus estudos em matemática e depois se tornou cirurgião-dentista pela Universidade de Harvard. Hoje, ele ocupa o cargo de coordenador do curso de especialização em Ortodontia da Universidade da Califórnia (Ucla) e mostrará o uso criativo dos mini-implantes para solucionar modalidades de tratamento que não eram possíveis com a abordagem tradicional. Ele apresentará protocolos de tratamento envolvendo surpreendentes correções ortopédicas, realizadas sem o auxílio de cirurgia ortognática, em jovens e adultos.

Profissional com extensa experiência no uso de aparelhos ortodônticos autoligados, Graham Jones enfocará sua apresentação na melhor escolha do sistema ou prescrição dos braquetes, levando-se em conta a eficiência no controle de torque e rotações dentais. Também buscará revisar a atuação multidisciplinar do ortodontista, de modo a implementar a integração de nossos tratamentos à clínica geral.

O também norte-americano Martin Palomo trará ao público brasileiro sua indicação para o uso da tomografia computadorizada cone beam para auxiliar no controle da mecânica ortodôntica em casos complexos. Mostrará, principalmente, os protocolos da Case Western Reserve University (em Cleveland, Ohio) para avaliar a inclinação vestibulolingual dos dentes posteriores (o que pode auxiliar no dilema de expansão ou não expansão), para localizar os ápices radiculares, de modo a verificar os resultados do alinhamento dental, e, na análise das vias aéreas, para o controle da apneia do sono. Segundo ele, ao caminhar do diagnóstico 2D para o 3D, distâncias e ângulos se transformam em áreas e volumes, e mais informações podem trazer excelência à Ortodontia nos casos complexos.

São atividades de elevado nível científico e imediato emprego na clínica diária que justificam o tema “A eficácia da nova Ortodontia”, escolhido para nortear a programação científica do 21º Congresso Brasileiro de Ortodontia.

 

 

Flavio Cotrim-Ferreira

Editor científico