Publicado em: 29/05/2018 às 12h30

O coração no passado e os olhos no futuro

O editor científico Flavio Cotrim-Ferreira relata os destaques do congresso da Associação Americana de Ortodontistas.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

A diretoria da Sociedade Paulista de Ortodontia (SPO) esteve mais uma vez presente no congresso da Associação Americana de Ortodontistas, realizado no início do mês de maio, na cidade de Washington, nos Estados Unidos. Além de rever amigos brasileiros e estrangeiros, a bela capital norte-americana foi palco de um evento com extraordinária qualidade científica, muitas novidades tecnológicas e grande presença de público. Dois fatos chamaram a atenção dos participantes do evento, revelando a importância e a abrangência do encontro.

Na feira comercial ficou evidente o direcionamento das empresas ligadas à nossa especialidade para o desenvolvimento de softwares voltados para análise e planejamento da movimentação dental, assim como foi intensa a criação de plataformas informatizadas para a construção de alinhadores estéticos. A impressão geral é que toda grande indústria ortodôntica pretende oferecer, em seu catálogo, o planejamento e a construção de alinhadores plásticos.

Por outro lado, nos enormes auditórios do congresso, foi emocionante e calorosa a acolhida aos grandes mestres de nossa profissão, tais como Andrew Haas e Bjorn Zachrisson, aplaudidos de pé após suas apresentações. Haas, hoje com 92 anos, pesquisou, aprimorou e divulgou a técnica de expansão rápida da maxila na comunidade ortodôntica, enquanto o norueguês Zachrisson trouxe contribuições significativas na análise estética do sorriso por parte do ortodontista, assim como investigou técnicas de reanatomização e contenção dental.

Na capital dos Estados Unidos, a mensagem transmitida aos presentes foi que a prosperidade de uma profissão se suporta pelo embasamento, gratidão e respeito aos grandes mestres do passado e se edifica com o olhar firme voltado para o futuro.

 

 

Flavio Cotrim-Ferreira

Editor científico