Publicado em: 06/12/2018 às 10h16

Orto 2018-SPO trouxe ciência em formato digital

Painéis científicos: 320 trabalhos estiveram expostos nas estações Super Science.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Formato digital possibilitou melhor visualização e busca dinâmica. (Fotos: Panóptica Multimídia)


Por Flavius Deliberalli
e Renata Putinatti

 

Destaque ao longo da trajetória do Orto-SPO, os painéis científicos foram apresentados no formato digital. Ao todo, 320 trabalhos estiveram expostos nas estações Super Science, que possibilitaram melhor visualização e busca dinâmica, através de título, palavra-chave ou autor.

Deste total, foram selecionados os três melhores nas categorias Caso Clínico e Pesquisa. Os vencedores serão publicados em edições futuras da revista OrtodontiaSPO e os autores foram contemplados com premiação em dinheiro e certificado. Segundo Camilla Juliana Storto, que integra o grupo de pesquisadores vencedor da categoria Caso Clínico, foi um trabalho de quase quatro anos relacionado a pacientes que apresentavam atresia maxilar. “Um prêmio desse porte é motivo de grande satisfação minha e de toda a equipe”, avalia.

Já o trabalho vencedor na categoria Pesquisa teve como foco a prevenção. “A linha de pesquisa envolveu os efeitos da expansão rápida da maxila sobre caninos impactados”, explica Simone Pinheiro Siqueira, que faz parte da equipe vencedora.

De acordo com Flavio Cotrim-Ferreira, coordenador científico do Orto 2018-SPO e editor científico da revista OrtodontiaSPO, a importância do incentivo à pesquisa em âmbito acadêmico contempla ainda o contínuo desenvolvimento da especialidade, já que é comum ver os vencedores destas premiações figurando entre os ministradores de edições seguintes do congresso. “Esse prêmio é uma porta de entrada de jovens profissionais no meio científico do congresso e tem o objetivo de encontrar novos talentos, novas linguagens e inovação”, pontua.
 

 

Vencedores na categoria Caso Clínico:

1o lugar – Avaliação da força muscular respiratória e fluxo de ar antes e após a expansão rápida da maxila assistida com mini-implantes
Autores: Camilla Juliana Storto, Karla Garcez Cusmanich, Aguinaldo Silva Garcez Segundo, Hideo Suzuki e Selly Sayuri Suzuki


2o lugar – Movimento ortopédico puro no tratamento reabilitador em paciente com deficiência maxilar e amelogênese imperfeita
Autores: Laysa da Cunha Barros, Marsha Lisa Schlittler Ventura, Celso Garcia Rodriguez, Hideo Suzuki e Aguinaldo Silva Garcez Segundo


3o lugar – Expansão rápida da maxila apoiada em mini-implantes e máscara facial no tratamento da classe III esquelética
Autores: Andrea Ribeiro Mattoso Câmara, Karen Horna Romero, Hideo Suzuki, Selly Sayuri Suzuki e Aguinaldo Silva Garcez Segundo


 

Vencedores na categoria Pesquisa:

1o lugar – Efeitos imediatos da expansão rápida da maxila sobre caninos ectópicos e não ectópicos
Autores: Simone Pinheiro Siqueira, Luciana Bocudo, Fernando Araújo, Guilherme Janson, Kelly Chiqueto e Sérgio Estelita Cavalcante Barros


2o lugar – Condição periodontal em longo prazo de incisivos centrais superiores após o tracionamento ortodôntico: TCFC e achados clínicos
Autores: Raquel Silva Poletto, Louise Resti Calil, Guilherme Janson, Ana Lúcia Pompéia Fraga de Almeida, Marcos Roberto de Freitas e Daniela Gamba Garib


3o lugar – Qualidade de vida versus expansão rápida da maxila
Autores: Daniela Pimentel Machado Renofio Hoppe, Lucia Hatsue Yamamoto Nagai, Raquel Mori Gonçalves, Aparecida Keiko Akutsu Yuki e Mario Cappellette Junior