Publicado em: 11/01/2019 às 10h32

Uma alternativa para enxertos em bloco

Marco Bianchini traz informações relevantes sobre estudo realizado na Alemanha.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Os enxertos de osso autógeno em bloco são largamente utilizados na Implantodontia quando temos uma espessura óssea reduzida. É um procedimento bastante conhecido, com alta taxa de sucesso, desde que o cirurgião seja bem treinado para esta técnica. Contudo, por ser uma cirurgia que, invariavelmente, tem que buscar uma área doadora, os pacientes não gostam muito, pois terão que sofrer uma intervenção em outro local da boca apenas para a retirada do enxerto.

Para evitar este contratempo, muitas alternativas vêm sendo pesquisadas para que não se crie outra área de invasão cirúrgica exclusivamente para colher o bloco ósseo. Uma técnica interessante vem sendo pesquisada pelo professor Frank Schwarz e seus colaboradores, em Frankfurt, na Alemanha. Eles utilizaram remanescentes radiculares de dentes naturais com extração indicada (dentes do siso) para serem usados como substitutos dos enxertos em bloco. Essa técnica foi divulgada recentemente em um artigo publicado no Journal Clinical Periodontology, e que vamos discutir aqui na coluna hoje.

O artigo observou a eficácia e a segurança do uso de remanescentes das raízes de dentes naturais para o aumento da espessura de rebordos finos, previamente a colocação de implantes, comparando os mesmos com enxertos em bloco de osso autógeno (técnica tradicional). Foram atendidos 30 pacientes (15 com enxerto em bloco tradicional e 15 com enxertos de remanescentes radiculares). As figuras 1 e 2, oriundas do artigo, descrevem a pesquisa.

Figuras 1 – Os enxertos foram provenientes de dentes do siso parcialmente/totalmente retidos ou impactados. Após a remoção da coroa, a raiz que mais se adaptava à área receptora foi adequadamente preparada para corresponder ao tamanho do defeito. Terminado este preparo, a peça radicular foi parafusada no defeito, sem nenhum enxerto adicional.

 

Figuras 2 – Aspecto dos enxertos de remanescentes radiculares após 26 semanas (aproximadamente seis meses). Observar a boa cicatrização dos tecidos moles e a perfeita adaptação dos enxertos no defeito ósseo pré-existente. Observar, também, a perfuração já realizada para a colocação do implante. Se compararmos com as figuras 1, podemos perceber o aumento da espessura do rebordo e a facilidade para a instalação do implante.

 

Os principais achados dessa pesquisa foram bastante interessantes. Após 26 semanas, os enxertos de remanescentes radiculares foram tão eficazes quanto os enxertos tradicionais em bloco. Eles obtiveram um aumento de espessura clinicamente suficiente para inserir implantes na área do antigo defeito. Além disso, quando comparados com os enxertos tradicionais em bloco, os enxertos de remanescentes radiculares tiveram menor taxa de reabsorção com maior ganho de espessura.

É óbvio que necessitamos de mais estudos para total comprovação dessa técnica. Entretanto, as evidências são bastante fortes para que os remanescentes radiculares venham a se tornar uma interessante alternativa aos enxertos em bloco tradicionais, realizados previamente a colocação de implantes osseointegrados.

 

“A ti, SENHOR, levanto a minha alma. Deus meu, em ti confio, não me deixes confundido, nem que os meus inimigos triunfem sobre mim. Na verdade, não serão confundidos os que esperam em ti; confundidos serão os que transgridem sem causa. Faze-me saber os teus caminhos, Senhor; ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade, e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação; por ti estou esperando todo o dia.” (Salmos 25; 1-5)

 

Referência
Schwarz F, Hazar D, Becker K, Sader R, Becker J. Efficacy of autogenous tooth roots for lateral alveolar ridge augmentation and staged implant placement. A prospective controlled clinical study. J Clin Periodontol 2018;45:996–1004.

 

 
   


Marco Bianchini

Professor associado II do departamento de Odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); autor dos livros "O Passo a Passo Cirúrgico na Implantodontia" e "Diagnóstico e Tratamento das Alterações Peri-Implantares".

Contato: bian07@yahoo.com.br